Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Gerenciamento de risco: como a comunicação interna pode ajudar

Se você está inserido no mundo dos negócios, já deve ter ouvido falar em gerenciamento de risco, uma prática muito utilizada por empresas de todo o mundo para evitar “surpresas indesejadas”.  

No artigo de hoje vamos te explicar o que é na prática esse gerenciamento de risco e como apostar em uma boa comunicação interna pode ajudar nessa tarefa tão difícil.

Ficou interessado? Então continue a leitura!

O que é gerenciamento de risco?

Gerenciamento de risco ou gestão do risco é um processo definido e executado por todas as áreas da organização diretoria executiva, gerentes e demais funcionários que procura entender todos os riscos que possam de alguma forma afetar o valor da organização.

Por isso, o gerenciamento de risco não deve ser usado só em fábricas em que os funcionários trabalham sob risco de acidentes físicos, mas em qualquer tipo de organização.

Gerenciar riscos é entender, planejar e antecipar soluções estratégicas para todo tipo de situação desagradável que possa vir a ocorrer, seja ela um acidente, um boato ou um cliente insatisfeito.

Uma das formas mais tradicionais de gerir riscos a saúde do colaborador, por exemplo, é a obrigatoriedade do uso equipamentos de proteção individual, os famosos KPI’s.

Luvas especiais, óculos de proteção, abafadores de som, máscaras e botinas são apenas alguns exemplos de KPI’s, que ajudam e muito a evitar acidentes graves.

Mas o gerenciamento de risco não se baseia apenas na saúde física do colaborador, ele também foca na saúde da empresa, ou seja, no seu crescimento e desenvolvimento.

Por isso, muitas das práticas do gerenciamento de risco não tratam do funcionário e sim de atendimento ao cliente, da relação com a empresa e de comunicados internos.

Um cliente mal entendido pode ser um grande risco para a empresa, pois ele pode externalizar sua indignação nas redes sociais e um pequeno erro virar uma bola de neve.

Da mesma forma, um boato rodando dentro da empresa de que a organização está precisando diminuir custos e vai cortar alguns funcionários, pode fazer com que a sua equipe procure novas oportunidades e acabe pedindo demissão.

Mas o que a comunicação interna tem a ver com tudo isso?

Muito mais do que você pode imaginar. A comunicação interna deve gerir toda informação que tramita entre os membros de uma empresa e acredite, cuidar desse fluxo pode ser uma boa forma de fazer gerenciamento de risco.  

Como a comunicação interna pode ajudar no gerenciamento de risco?

Vamos te mostrar agora 4 formas em que a comunicação interna auxilia no gerenciamento de risco de uma empresa. Fique atento.

Evitando os boatos

Como já falamos anteriormente, a comunicação interna é muito eficaz na arte de evitar boatos, pois os funcionários estão sempre em contato com as informações oficiais da firma.

Os boatos são prejudiciais tanto internamente quanto externamente. Imagine que surja um boato de que um dos sócios da empresa está saindo.

Internamente os funcionários podem começar a questionar o motivo dessa saída. Será que a empresa não está mais dando lucro? Há risco de em alguns meses ela declarar falência?

Concomitantemente, esse mesmo funcionários que têm as dúvidas citadas acima, vai para casa e conversa com a esposa sobre as questões, a esposa conta pra uma amiga e assim vai.

Em pouco tempo, essa informação falsa pode chegar nos ouvidos de acionistas e as ações dessa empresa na bolsa de valores começar a cair.

Entendeu como é sério se preocupar com boatos? Uma boa comunicação interna, que permita o contato não só do líder com o liderado mas também vice-e-versa, é muito importante.

Divulgando de maneira clara e concisa as práticas definidas no gerenciamento de risco

Uma coisa importante no gerenciamento de risco é ter toda a equipe ciente do que deve ser feito em situações de risco e como evitar cada situação perigosa.

Imagina que um incêndio aconteceu na sua fábrica. Para diminuir os riscos de um incêndio você provavelmente teria extintores, saídas de emergência e quem sabe até portas corta fogo.

Mas de nada adianta ter tudo isso se sua equipe não sabe como utilizar o extintor, onde estão as saídas de emergência e o que são portas corta-fogo.

Por isso, é preciso deixar todos os funcionários (sem exceção) cientes dos procedimentos e práticas necessárias para situações de risco. E nesse ponto a comunicação interna pode ser sua aliada.

Isso porque você poderá utilizar newsletters ou murais de aviso para explicar o que deve ser feito em caso de incêndio. É mais prático porque todos da empresa receberão o mesmo conteúdo e você só precisará prepará-lo uma vez.

Vale lembrar que isso não exclui os treinamentos. Também é imprescindível que a equipe receba treinamento para lidar com essas situações. As ferramentas de comunicação interna são apenas um apoio.

Melhorando o clima organizacional

A comunicação interna também ajuda no clima organizacional, o que pode ser uma prática de gerenciamento de risco.

Por exemplo, imagine que um risco na sua empresa é ter muitos funcionários pedindo demissão em um curto período de tempo, pois os treinamentos para novos membros demandam muito tempo.

Nesse caso, garantir um bom clima organizacional é uma boa forma de gerir esse risco, pois um bom clima organizacional aumenta a satisfação dos funcionários.

Uma boa comunicação interna, inclusive, aproxima gestores e funcionários, criando ali uma relação de confiança, o que faz com que ambos trabalhem com mais prazer.

E não é novidade que quando se tem pessoas trabalhando com prazer, os índices de produtividade aumentam, o turnover diminui, o clima organizacional melhora e a empresa tem suas metas e prazos alcançados mais facilmente, gerando lucro e crescimento.  

Otimizando a gestão da empresa

Agora você deve estar pensando: “quem escrever este artigo está louco, comunicação interna não tem nada a ver com gestão e gestão não tem a ver com gerenciamento de risco.”

E quem foi que te disse isso? Tem tudo a ver. Uma empresa que trabalha bem sua comunicação interna, sabe quando seus funcionários estão insatisfeitos e sabe também o motivo.

Então, se os processos organização estão engessados ou não estão mais de acordo com a realidade dos trabalhos feitos, o gestor saberá.

E manter os processos da empresa fluindo naturalmente em prol dos resultados esperados é uma boa forma de gerenciar riscos, uma vez que inconformidade nos processos pode gerar sérios problemas.

Agora que você já sabe como a comunicação interna pode te ajudar no gerenciamento de risco, conheça 5 mudanças empresariais que melhoram a comunicação interna daso organizações clicando aqui.  

Compartilhe:
Share on FacebookShare on LinkedInEmail this to someoneTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest
Comentários

Deixar um comentário